Arquivo para novembro 2007

Mudados

novembro 26, 2007

Fizemos a mudança no sábado. Estou com dor nos braços até agora, de carregar peso. Tivemos que fazer em duas etapas: na primeira carregamos as quatro malas cheias, daí esvaziamos duas aqui e levamos de volta pra encher de novo. Além disso, tínhamos um carrinho e umas sacolas com tranqueiras. Muitas escadas no caminho e a mão amiga do Nego estiveram presentes.

Agora está quase tudo no lugar e nós estamos muito felizes. A casa é realmente uma delícia e o pessoal é gente boa. São três brasileiros (paulistas) e um espanhol. Sábado de noite tivemos até um churrasco de confraternização. Melhor recepção!

dsc01885.jpg
Nosso novo quarto.
Bem maior do que o anterior, com tv, dvd player e até prateleiras no armário: um luxo.

O Egs anda sumido porque está bem fudido no trabalho. O cara que fazia mais turnos na loja onde ele trabalha está de férias e ele está trabalhando pelos dois. Está com uns turnos bem puxados previstos para as próximas 2 semanas.

AUD$ 6.257,46

novembro 21, 2007

Esse é o valor da conta de internet do nosso apartamente nesse mês.

Primeiro todo mundo achou que estava errado, que era uma pegadinha… Qualquer coisa, menos que era possível gastar mais de 6 mil dólares em internet em um mês. Mas a conta estava certa.

A espertinha da nossa landlord achava que era muito importante ter internet muito rápida, então fez um plano com banda ilimitada num apartamento onde 5 pessoas diferentes acessam a web em 4 computadores. Nesse plano, a velocidade é sempre constante e o usuário paga um básico e todo o excedente que consumir. E ela não avisou ninguém dessa façanha. Usamos afú, todos. De acordo com a conta, mais de 40Gb.

Pra vocês terem uma idéia, com essa grana poderíamos pagar 6 meses de curso para mim e para o Egs e ainda sobrariam uns trocados pra pagar internet pras mesmas 5 pessoas num plano razoável por 2 meses. Insano!

O acordo era que pagaríamos 5 dólares por computador por semana, ou seja, uns 40 pila para cada. Agora ela anda pra lá e pra cá com a conta, sem saber o que fazer. Sinto muito, mas não pagarei.

Keep on moving

novembro 15, 2007

Comecei hoje em mais um emprego novo. O quinto desde que chegamos aqui, mas agora vou sossegar. A nova firma é uma mega multinacional. O trabalho é basicamente o mesmo, atender clientes, sorrir, vender, organizar a loja… A diferença é o clima e o produto, que são bem legais. As roupas são boas e fáceis de vender. O dinheiro vai ser melhor do que nas outras e vou deixar de ser informal, o que é bom.

Por enquanto vou continuar entregando panfletos e trabalhando na Footy Shop ao mesmo tempo, mas pretendo largar um deles em breve. Ainda não sei como vão ser meus turnos na Esprit, então não decidi nada, mas estou louca para parar com o dos panfletos. O dinheiro é bom e o trabalho é fácil, o problema é acordar às 5 e meia da manhã pra começar às 7 e quase morrer de tédio.

Além disso, estamos começando a fazer as malas outra vez. Vamos nos mudar no sábado que vem para uma casa em Darlinghurst que fica a um minuto de distância da nossa escola. Chega de desculpas pra matar aula! A casa é bem massa, com três andares, pátio com churrasqueira, 3 quartos, outros dois casais de brasileiros, e uma sala bem grande sem ninguém morando – sim, hoje temos alguém que dorme na sala do nosso apartamento.

Morar só com brasileiros é uma vantagem e uma desvantagem, mas estamos bem empolgados. Nossas flat mates orientais não parecem nem um pouco interessadas em fazer amigos. Estamos sentindo falta de parcerias… Também vai ser bom mudar de ares, pra ter novas coisas que encham o saco e descansar um pouco das velhas. Mas o novo lar é temporário. Um dos casais que mora lá hoje vai viajar e volta em três meses, daí vamos ter que arrumar outro lugar para ficar.

Estou curtindo essa inconstância. Passei os últimos anos bastante constante e agora a vida inteira vira  em questão de uma semana. Que venham mais mudanças!

Vem com a gente

novembro 14, 2007

Temos tentado nesses últimos tempos mostrar um pouco mais do que estamos vivendo aqui. Fotos são ótimas, mas transformam os momentos em coisas estáticas. Por isso estamos tentando gravar em vídeo algumas das nossas recentes incursões por Sydney e arredores. Sem mais delongas, com vocês um videozinho de Coogee, uma praia maravilhosa que visitamos hoje:

Feinha, né? Aguardem mais registros nos próximos dias!

Baronda

novembro 12, 2007

Mais um videozinho da série que fizemos em Bondi, há umas duas semanas. Este tem trilha sonora, pra dar um clima mais FAMILIAR às imagens. Curtam essa montanha-russa de sensações e cantem junto.

PAZ E SABEDORIA.

Feliz Aniversário, meu amor!

novembro 9, 2007

img_0068.jpg

Às vezes eu me pego pensando como é possível que uma pessoa tão pequena cause um impacto tão grande na minha vida.  Pois foi há cinco anos que, meio por acaso (na verdade eu sei que foi obra do destino), eu estava na casa da Ale quando ela recebeu a notícia de que a filha da irmã dela tinha nascido. O nome: Gabriela. A missão: trazer uma alegria enorme pras nossas vidas. E como ela tem se esforçado pra cumprir isso!

São cinco anos de muitas brincadeiras, choros, abraços, beijos e surpresas. MUITAS surpresas. Eu até desconfiava que uma criança fazia bem pruma casa, só não imaginava que era tanto assim. Brigado por esses cinco anos de convivência, Gabi. Seja aí do teu lado ou aqui do outro lado do mundo, te desejo toda a felicidade do mundo e muita diversão nesse aniversário.

Parabéns, querida!

Tio Duardo

Nem sei por onde começar… Só de pensar nessa minha monstrinha já me derreto toda. Cada vez que ela pede pra eu voltar, tenho vontade de pegar o avião na mesma hora.

A Gabi veio pra encher a casa, nossas vidas e nossos corações. Cada sorriso, cada manha, cada brincadeira, cada briga, cada surpresa… Minha pequena que eu amo mais do que tudo. Tá crescendo e virando menininha.

Só espero que tu faça tanto parte da minha vida quando eu voltar quanto quando viemos para cá.

Feliz aniversário, meu amor! Uma festinha da Polly bem linda e divertida pra ti.

Beijão,

Tia Ale

Puxando ferro

novembro 7, 2007

Ontem fui numa induction (uma espécie de introdução ao trabalho que tu vai fazer) numa empresa chamada Crew on Call, especializada em montagem de palcos, cenários e outras estruturas de eventos. Eles anunciaram num site pedindo stagehands, ou seja, gente pra fazer o trabalho sujo de montar essas estruturas. A induction levou 4 horas, de tanta coisa que o cara tinha pra falar, mas foi divertido.

Ele ficou dando exemplos de problemas que acontecem na montagem e falando coisas como “É proibido pedir autógrafo pros artistas. Vocês tão lá pra trabalhar!”. Parecer ser uma atividade estressante, mas fiquei bem interessado. Pode ser uma boa porta de entrada pro mundo do ROCK AND ROLL.

Agora vou aguardar ligação deles oferecendo trabalho. Tô curioso pra trabalhar em montagem de palco, acho que vai ser uma baita experiência. Além do fato de não precisar gastar dinheiro com musculação, já que fazer força é o lema dessa atividade. Saúde é o que interessa! Heh.